PSD acusa CM Beja de “seguir as pisadas do Governo”

O PSD Beja, vem em nota de imprensa questionar a Câmara de Beja sobre a “prestação de serviços jurídicos, no âmbito dos contratos de habitação social, por ajuste directo, no valor de 17 mil e 500 euros, com duração de 180 dias”.

Segundo o partido Laranja, a autarquia “adjudicou muito recentemente a uma advogada, a prestação” desses serviços.

No documento enviado às redacções, o PSD Beja “não coloca em causa qualquer questão de legalidade”, mas questiona a autarquia pelo “facto de não ter esclarecido os munícipes sobre o tipo de medidas que vão ser levadas a cabo, (…) o valor, o número das rendas em atraso, os objetivos a alcançar, o procedimento subsequente (caso exista a possibilidade de propor ações de despejo) e quais os critérios de seleção da profissional”.

Segundo o partido Laranja e “não pondo em causa a competência da adjudicatária, parece existir dúvidas no critério desta escolha, sabendo-se que a escolhida é eleita e vogal pelo Partido Socialista na União de Freguesias de Beja Salvador e Santa Maria da Feira, membro do Secretariado da Concelhia do PS e, alegadamente, militante deste partido”.

Pinela Fernandes, presidente da Concelhia de Beja do PSD acusa a Câmara de Beja de “estar a seguir as pisadas do Governo no que diz respeito a determinadas nomeações que se têm verificado a nível nacional e a refleti-las no âmbito do concelho”.

A Rádio Pax tentou sem sucesso contactar Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja.