PSD acusa Pedro do Carmo de “tapar o sol com a peneira”

A Distrital de Beja do PSD não poupa críticas ao presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS. Pedro do Carmo emitiu, esta semana, um comunicado onde frisou que “uns não fizeram entre 2011 e 2015, tudo o que querem que se faça agora”, em alusão a postura dos social democratas.

“Há muito que o governo do PS se entregou ao exercício da propaganda e o seu deputado no Distrito de Beja é bem o exemplo disso”, escreve o PSD, em Comunicado enviado à Rádio Pax.

Para os social-democratas, “se houve cortes orçamentais durante a anterior legislatura, bem pode o país agradecer à gestão do Partido Socialista da qual o deputado Pedro do Carmo e a Federação Socialista do Distrito de Beja foram cúmplices”.

O PSD acusa o PS de ter deixado o país “à beira da banca rota” e acrescenta que “onde não há dinheiro, manda a prudência, que se imponha contenção”.

O Partido Social Democrata cita o exemplo do actual Primeiro-ministro, António Costa que, perante exigências dos professores contrapõe que “não há dinheiro”.

Na óptica da distrital “laranja” de Beja “não há desenvolvimento no Distrito “porque o orçamento do Estado não consagrou rubricas para o investimento no interior, nomeadamente para o Distrito de Beja”.

“As jornadas parlamentares do PS no Alentejo foram bem esclarecedoras sobre o respeito que o seu governo tem pelo avanço do Baixo Alentejo. António Costa discursou a partir de Évora e sobre o Baixo Alentejo, disse zero”, adianta o comunicado.

Os social democratas recordam que o aeroporto de Beja continua sem descolar, a auto-estrada chega apenas a Figueira dos Cavaleiros e mantem-se fechada e a electrificação da linha ferroviária “não será feita”.

O PSD acusa Pedro do Carmo de “ter necessidade de vir pôr-se em bicos de pés, tapar o ‘sol com a peneira’ camuflando a estagnação que o Distrito de Beja tem sido alvo, num claro desrespeito para com os baixo alentejanos. Num desassombro, e no limite da arrogância, bem poderá dizer que, ‘sempre que o governo é do PS, o Baixo Alentejo avança… para a propaganda’”.