Quarentena fecha acesso às explorações em Trindade

Na aldeia da Trindade, no concelho de Beja, os pequenos agricultores estão proibidos de acederam às suas explorações, pelas estradas e caminhos, por onde sempre fizeram.

Numa notícia publicada no jornal Correio da Manhã (CM)é referido que “os agricultores estão indignados”.  Naquele local, “para além dos portões de ferro a barrar o caminho, encontra-se [também] um sinal de trânsito proibido e uma placa afixada com a informação: “Zona de quarentena Covid-19”.

Para poderem deslocar-se às suas explorações, “alguns agricultores, têm de passar pela Herdade da Chaminé, propriedade de Fernando Manuel Sousa Uva Pessanha Barbosa”, avança o CM.

O jornal diário refere ainda que a “situação complicou-se quando a Herdade foi arrendada ao empresário espanhol Diego Verona Fidalgo, para a plantação de 400 hectares de olival superintensíssimo e 60 hectares de amendoal”.

O espaço utilizado pelos pequenos agricultores está, agora, “ocupado por oliveiras e amendoeiras. Face a essa situação torna-se “impossível poder circular, naquela estrada municipal de terra batida”.

“Apesar das tentativas, não foi possível falar com Diego”, conclui o CM.