“Reorganização do atual dispositivo da Força Aérea” impede instalação de escola de pilotos em Beja

O presidente da Câmara de Beja denunciou, na Rádio Pax, a oposição da Força Aérea Portuguesa (FAP) à criação de uma escola de pilotos no Aeroporto de Beja.

O projeto previa a instalação, em Beja, de várias aeronaves, 150 alunos e 30 pilotos, instrutores e mecânicos.

Questionado pela Rádio Pax sobre esta matéria, o Gabinete de Relações Públicas da Força Aérea Portuguesa esclarece que a posição tomada “decorre da decisão governamental de instalar o Aeroporto Complementar a Lisboa na atual Base Aérea N.º 6 [Montijo], o que obrigará a uma profunda reorganização do atual dispositivo da Força Aérea, onde se inclui a Base Aérea N.º11”.

A mesma fonte acrescenta que “existe um projeto para a implementação de capacidade de formação avançada de pilotos nesta mesma Unidade [Beja]. Com estas duas situações, a confirmar-se, verificar-se-á uma utilização intensa da pista que poderá inviabilizar uma utilização partilhada”.

Ainda assim, a Força Aérea assegura que “deixou em aberto a possibilidade de, após a consolidação do futuro dispositivo, reapreciar uma eventual cooperação a um projeto dessa natureza”.