SPZS avança com acção em Tribunal

O SPZS diz tratar-se de uma acção “discriminatória” para os professores deste ciclo de ensino, que desta forma trabalham mais 2 horas e meia por semana do que os restantes docentes.

O Ministério da Educação não se compromete com uma futura alteração, diz o Sindicato. Por entender tratar-se de uma violação do princípio da igualdade, o SPZS e os restantes sindicatos afectos à FENPROF avançaram com uma Acção Administrativa de Impugnação da Norma.

Manuel Nobre, presidente do Sindicato de Professores do Sul, diz que a acção vai ser entregue no Tribunal Administrativo e Fiscal de Beja esta quinta-feira. O mesmo responsável espera a reposição da justiça nesta matéria que “afecta os profissionais e o normal funcionamento das actividades”.