Suspeitos de tráfico de droga e notas falsas começaram a ser julgados

Começou esta quarta-feira, no Tribunal de Beja, o julgamento das onze pessoas detidas no dia 22 de Janeiro de 2018, na vila de Cuba, distrito de Beja, por suspeitas de tráfico de droga e passagem de notas falsas.

 

A detenção aconteceu na sequência de uma operação, desenvolvida pela GNR, que permitiu apreender 430 doses de cocaína, 268 de haxixe, 12 de folhas de canábis, nove de MDMA, uma planta de canábis, seis viaturas, 3.580 euros em notas falsas e cerca de 3.000 euros em dinheiro.

 

Recorde-se que o tribunal de Cuba decretou a prisão preventiva, a medida de coacção mais grave, a quatro suspeitos do grupo de 11 detidos, que ficaram a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Beja. Os outros sete arguidos, quatro homens e três mulheres, ficaram sujeitos a apresentações semanais às autoridades da sua área de residência.

 

Nesta primeira secção do julgamento, Marco Paulo foi o único detido que quis falar em tribunal. O suspeito garantiu ao colectivo de Juízes que nunca traficou, mas que transportava no seu carro o amigo e também arguido neste caso, Aléxis Capela, que se deslocava a Évora para ir comprar droga. Em troca desse favor recebia haxixe para consumo próprio.

 

Marco Paulo confessou em tribunal que comprou por 700 euros cerca de 4000 euros em notas falsas, mas nunca as trocou.

 

As próximas secções do julgamento estão marcadas para os dias 19 e 20 de Dezembro. Para o dia 8 de Janeiro ficaram marcadas as alegações finais.