Vítor Silva: A Expo’98 foi há 20 anos

No dia 22 de Maio de 1998, cumpriram-se agora vinte anos, foi inaugurada a Expo’98 em Lisboa.
A importância e as consequências deste evento foram na altura e ainda são hoje muito maiores que o evento em si. Requalificou-se uma zona enorme da cidade de Lisboa, um cemitério ligado às indústrias químicasaltamente poluído. Ainda hoje é o maior empreendimento público realizado em Portugal depois do 25 de Abril. Ao fazê-lo Portugal mostrou ao mundo que não era aquele país atrasado que a revolução de Abril tinha abanado, mas que aparentemente não tinha realmente mudado.
Hoje o local da Expo’98 deu lugar ao Parque das Nações, numa área ainda mais alargada, que constitui a zona mais moderna e agradável da cidade de Lisboa, cheia de vida empresarial e social e onde têm lugar alguns dos eventos mais emblemáticos que ocorrem no nosso país.
Pessoalmente foi um período muito intenso e muito reconfortante da minha vida, pois que estive ligado a um restaurante da nossa cidade que aí esteve presente, tendo sido o embaixador do Alentejo, com a sua gastronomia e os seus vinhos e apoiado por todos os municípios alentejanos, sem excepção.
Isso permitiu-me conhecer o projecto no local,desde ainda a sua fase de estaleiro. Como é costume em Portugal, muitas foram as vozes, nomeadamente na comunicação social, que agoiravam que não era possível ter a obra pronta a tempo e que aquilo ia ser um fracasso. Não foi um fracasso, foi um êxito.E esse êxitomuito contribuiu para um aumento da autoestima dos portugueses, na altura bastante em baixo. Pela minha parte não tenho dúvidas que no Portugal democrático há um antes e um depois da Expo’98.
Por muitos anos que viva, jamais poderei esquecer o arrepio que me percorreu o corpo, quando no último dia do evento, no dia 30 de Setembro de 1998, pela meia-noite, hora de encerramento, as centenas de milhar de pessoas que enchiam completamente o recinto terem começado espontaneamente a cantar o Hino Nacional.