Vítor Silva: Nossa Senhora do Leite

Não pertencendo a ela sempre me surpreendeu a profusão de santos existentes na religião católica, fazendo-me pensar na possível influência que nela tiveram os cultos gregos e romanos e a profusão de deuses que abundam nos seus panteões.
Do mesmo modo inclino-me a ver o mesmo paralelo entre as inúmeras divindades femininas gregas e romanas e as diferentes manifestações que toma a mãe de Jesus, a Virgem Maria. É a Nossa Senhora do Carmo (igreja na qual me baptizaram), a Nossa Senhora dos Aflitos, a Nossa Senhora dos Remédios, a Nossa Senhora das Neves (padroeira de uma conhecida localidade aqui perto de Beja, bem conhecida por ser uma estação de prática de desportos de inverno), a Nossa Senhora das Dores, a Nossa Senhora dos Prazeres (sempre me intrigou saber quais prazeres), a Nossa Senhora da Piedade,… enfim a lista é quase interminável.
Mas, há poucos dias em Braga fui surpreendido por uma de que eu ainda nunca tinha ouvido falar: a Nossa Senhora do Leite. Encontrei e fotografei a sua imagem num núcleo museológico e por acaso percorri até uma curta rua com o seu nome, nas traseiras da Sé de Braga. Intrigado recorri à internet, essa biblioteca sempre à mão e onde parece estar depositada toda a informação do universo, e fiquei a saber que o culto a Nossa Senhora do Leite vem dos primórdios do cristianismo. A sua representação está obviamente ligada à amamentação de Jesus e a ela intercedem, através duma oração específica, as mulheres que querem ser mães. (Oração a Nossa Senhora do Leite e do Bom Parto). Foi também na internet que fiquei a saber que mais bem perto de nós também existe uma imagem dessa Nossa Senhora, na Igreja de São Lourenço em Almancil, no Algarve. As coisas que se aprendem na internet!
Fiquei a matutar cá para comigo: aqui no Alentejo, e atendendo a uma das nossas principais produções agrícolas, não seria útil ter uma Nossa Senhora do Vinho?