Vítor Silva: O novo aeroporto do Montijo

Estou a gravar esta crónica, na segunda-feira, dia 7 de Janeiro, mas ela só irá para o ar na quarta-feira dia 9. Entre estas duas datas fica o dia 8, que é amanhã, quando estou a gravar e é ontem, quando me estiverem a ouvir.
O dia 8 tem muita importância porque é nesta data que o Governo de Portugal e a ANA/VINCI vão assinar o protocolo de financiamento do novo aeroporto do Montijo. Na minha opinião, e apenas atendendo ao que li e ouvi na imprensa, trata-se de um bom negócio para ambas as partes.
Para o Governo o negócio é bom pois que os custos da infraestrutura serão totalmente suportados pela ANA sendo muito difícil que esses custos pudessem ser acomodados em sucessivos orçamentos de estado, sem que o défice disparasse outra vez. Também é bom negócio para a ANA, que arca agora com os custos, mas verá certamente estes cobertos com os lucros que vai obter no futuro, seja em termos de taxas aeroportuárias, seja no arrendamento de espaços no novo aeroporto.
E o país também sairá a ganhar, pois os actuais constrangimentos quanto ao número de aterragens e descolagens no aeroporto da Portela, rebaptizado como Humberto Delgado, serão ultrapassados. E sabemos como esses constrangimentos poderão a breve prazo ter sérias repercussões na economia do país, que tanto depende do turismo.
Um jornalista perguntou-me há pouco quais as consequências que a construção do aeroporto do Montijo terão para o turismo do Alentejo. Negativas nenhumas. É preciso notar que o aeroporto do Montijo é complementar do de Lisboa. É quase como se fosse o mesmo aeroporto, mas com uma pista de cada lado do rio Tejo. A distância entre os dois terminais é de cerca de quinze minutos. Isto significa que o Alentejo fica um pouquinho mais perto deste novo aeroporto. Para quem não tenha reparado o Alentejo começa a meia dúzia de quilómetros do Montijo. Consequências positivas são óbvias. Resolver este problema significa maior capacidade para trazer turistas para Portugal e também para a nossa região.
Finalmente perguntar-se-á qual o impacto deste aeroporto no Montijo no aeroporto de Beja. Penso que nenhum, mas isso já é conversa para outra ocasião.