Administração da Somincor “surpreendida” com greve

A Administração da Somincor diz-se “surpreendida e decepcionada” com o anuncio de uma nova greve.

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM) apresentou um pré-aviso de greve, para o período de 18 a 23 de Dezembro.

Num comunicado enviado às redacções, o presidente da Administração fala em “profícuas conversações” nos encontros com o Sindicato, realizados em Novembro.

A Administração adianta que “este anúncio não reflecte com precisão o resultado das reuniões tidas entre a Somincor e o STIM, durante as quais foi alcançado um acordo sobre uma ‘Posição de Princípio’ relativamente a um horário para os colaboradores de fundo da mina”.

A empresa adianta que apresentou “propostas relativas à idade de reforma dos trabalhadores não abrangidos pelo sistema de reforma aplicável aos trabalhadores de fundo da mina”.

No final do Comunicado, a empresa que gere as minas de Neves Corvo assegura que respondeu sempre às necessidades de colaboradores, e pretende “continuar a proporcionar salários e benefícios que estão entre os melhores do país”.

No entanto, adianta, tem que “garantir a competitividade a longo prazo da operação e a sua posição como principal empregador e contribuinte para a economia regional e nacional”.

A Somincor não acredita que “a nova greve vá ao encontro do interesse dos nossos colaboradores.

O Sindicato continua a exigir o fim do regime de laboração contínua no fundo da mina, a humanização dos horários de trabalho, a antecipação da idade de reforma dos trabalhadores adstritos às lavarias, a progressão nas carreiras e a revogação das alterações na política de prémios.