Anta do Zambujal em Selmes alvo de trabalhos arqueológicos

A Anta do Zambujal situada na freguesia de Selmes, no concelho de Vidigueira, está a ser alvo de trabalhos arqueológicos, levados a cabo pelo Legado da Terra – Cooperativa de Responsabilidade Limitada.

Segundo Nelson Almeida, administrador da cooperativa, “trata-se de um importante monumento megalítico, constituído por uma câmara e corredor em granito, com átrio, que serviu de local de enterramento para as comunidades que o construíram, provavelmente, há cerca de 5500/5000 anos, no final do período Neolítico”.

O responsável explica que “os primeiros trabalhos arqueológicos na Anta do Zambujal ocorreram em 1979, mas, em 2017, uma ação de desprega para preparação do terreno para plantio de olival provocou afetações que levaram à necessidade de novos trabalhos, em 2018 e 2019, para avaliação dos danos ao monumento”.

Nelson Almeida revela que os trabalhos que se encontram a decorrer têm como objetivo a caraterização da totalidade do monumento, aferir o grau de afetação sofrido e salvaguardar os contextos preservados e seus materiais.  

Nelson Almeida realça a importância desta intervenção, referindo que se trata de “uma tentativa de recuperar o máximo de informação de um sítio bastante afetado por trabalhos agrícolas.

No concelho de Vidigueira conhece-se cerca de uma dezena de Antas, um importante conjunto patrimonial, que integra a lista do processo de classificação do Megalitismo Alentejano, recentemente proposto pela Direção Regional de Cultura do Alentejo, que abrange mais de 2000 monumentos em todo o Alentejo.

Na Freguesia de Selmes, para além da Anta do Zambujal, regista-se ainda a presença de mais alguns monumentos megalíticos, a Anta da Vinha do Mangancha, junto ao Barranco do Falcato, a Anta do Alto da Mangancha, no Monte do Tinhoso, a Anta e o Menir das Navalhas, na Horta Nova, e o Menir da Tapada da Morena, que no seu conjunto poderão vir a constituir um importante fator de valorização patrimonial deste território, frisa o Legado da Terra.