Apenas 6% das empresas do Alentejo sem capacidade de exportação

Apenas 6% das empresas do Alentejo sem capacidade de exportação

As associações empresariais do Alentejo apresentaram ontem as conclusões do projecto “Exportar Melhor”.

Filipe Pombeiro, presidente do NERBE/AEBAL, anunciou que 53% das empresas “tem um elevado potencial de exportação”, 41% tem um potencial de exportação “razoável” e apenas 6% têm um índice “reduzido” de colocação dos seus produtos no exterior.

O projecto “Alentejo Exportar Melhor” chega agora ao fim. A iniciativa, apoiada por fundos comunitários pretendeu ajudar as empresas nos processos de exportação para 4 mercados: Alemanha, Estados Unidos, Suécia e Marrocos.

Foram trabalhadas 8 fileiras, sobretudo do sector agro-alimentar.

O projecto envolveu um total de 113 empresas que tiveram oportunidade de contactar com prospectores internacionais.

As empresas identificaram a Alemanha e a Suécia como principais mercados para exportação, revelou Filipe Pombeiro.

Victor Barbosa, presidente do Núcleo Empresarial da Região de Évora sublinhou que este projecto deve servir de modelo para que as empresas comecem a trabalhar em conjunto conforme fizeram as diferentes associações empresariais do Alentejo.

Rui Perestrelo, presidente do Núcleo Empresarial da Região de Portalegre considera que este “é o caminho a seguir”. No seu entender as empresas saíram satisfeitas das reuniões realizadas.

Mónica Brito, do Sines Tecnopólo frisou que este projecto revelou- se importante pois “desmistifica a lógica de quintas que ainda existe no nosso país”.