12°C
Scattered clouds

Beja recebe exposição da Coleção de Arte Contemporânea do Estado em 2024

Beja recebe exposição da Coleção de Arte Contemporânea do Estado em 2024

Beja, Aveiro, Elvas e Tavira vão acolher no próximo ano exposições do programa itinerante da Coleção de Arte Contemporânea do Estado (CACE), anunciou ontem o Ministério da Cultura, em vésperas do anúncio de novas aquisições de obras de arte.

“Depois das exposições em Foz Côa e Castelo Branco, em 2023, que contaram com mais de 50 mil visitantes, em 2024 a CACE será apresentada em Beja, Aveiro, Elvas e Tavira”, lê-se num comunicado hoje divulgado pela tutela, no qual é referido que o ministro Pedro Adão e Silva anuncia amanhã as novas aquisições que irão integrar a CACE.

Ontem, em Madrid, na apresentação do programa Cultura Portugal, em Espanha, foi também anunciada uma exposição CACE na residência oficial do embaixador de Portugal, em Madrid, a partir de 20 de setembro.

Trata-se da primeira mostra da CACE fora de Portugal, depois de o Ministério da Cultura ter iniciado a circulação da coleção por diversos pontos, para promover o acesso às obras e o alargamento dos públicos.

Criada nos anos 1970 com o objetivo de se converter numa coleção representativa da produção artística portuguesa, a então “Coleção SEC” foi fazendo aquisições ao longo das décadas, mas ficou paralisada durante cerca de vinte anos.

As aquisições foram retomadas pelo Governo em 2019, depois de um grupo de 200 artistas plásticos ter, em 2018, exigido medidas urgentes para o setor da arte contemporânea ao primeiro-ministro, António Costa, que lançou um programa de aquisições a dez anos.

O programa começou com um orçamento de 300 mil euros para 2019, que foi sendo aumentado gradualmente, tendo sido este ano de um milhão de euros.

Desde 2019 entraram na CACE 247 obras, de 208 artistas, num investimento total de 2.250.000 euros, recorda o Ministério da Cultura.

As obras que passam a fazer parte da coleção são identificadas por uma comissão, que no biénio 2023-2024 integra sete elementos, entre os quais os artistas António Olaio, Fernanda Fragateiro e Luísa Abreu e os curadores Luís Silva e Miguel von Hafe Pérez.

A historiadora de Arte Sandra Vieira Jürgens é, desde maio do ano passado, a curadora da CACE, na qual estão representados alguns dos mais importantes artistas portugueses, como Julião Sarmento, Artur Bual, Júlio Pomar, Maria Keil, Ilda David, Júlio Resende, Helena Almeida, Noronha da Costa, José de Guimarães, Abel Manta e Nikias Skapinakis.

Rádio Pax / Lusa

PUB

PUB

PUB

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn

Farmácia de serviço hoje na cidade de Beja

Publicidade

Mais Lidas

1
Ourique
Incêndio fatal em Ourique: homem perde a vida aos 62 Anos
2
Ressonância
Hospital de Beja: A espera terminou, Ressonância Magnética chegou
Devemos acarinhar os eleitores do Chega? Não! Não podemos
4
Bombeiros
Polémica nos Bombeiros de Beja: Lista rejeitada responde a comunicado da direção 
5
Odemira
Alunas de Odemira brilham em competição de ciência em Itália
6
25 de Abril
50 anos de Abril: Catarina Eufémia, um símbolo da luta antifascista
7
roubos em Beja
Semana com ameaças, agressões e roubos em Beja
8
agricultores
Agricultores que cortaram estrada em Serpa identificados pelas autoridades

Recomendado para si

21/06/2024
Museu da Luz inaugura nova exposição
17/06/2024
Festival de BD entra na última semana
Cante Alentejano
16/06/2024
Alunos de Ourique e de Castro Verde juntam-se para cantarem modas alentejanas
Mértola
15/06/2024
Festas da Vila em Mértola são momento de reencontro
Odemira
15/06/2024
Centro de Valorização da Viola Campaniça e Canto de Improviso inaugurado em São Martinho das Amoreiras
Aljustrel
13/06/2024
Aljustrel assinala dia do Município
11/06/2024
Festival de Banda Desenhada de Beja espera 10 mil visitantes
serpa
10/06/2024
“Encontro de Culturas” celebra elevação do cante a património da humanidade