Beja: Pedopsiquiatria só tem uma médica, mas a procura triplicou

“Com a pandemia, a procura pela resposta hospitalar em Pedopsiquiatria triplicou, mas Beja continua a ter, apenas, uma pedopsiquiatra”.

A revelação foi feita por Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, esta quarta-feira, durante uma visita ao Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital de Beja.

Apesar de todos os constrangimentos inerentes àquele equipamento hospitalar, Catarina Martins evidenciou que “o Serviço Nacional de Saúde (SNS) conseguiu construir uma resposta de saúde mental inovadora, numa das zonas do país, com maior incidência de suicídio e depressão”.

Contudo, realçou que apesar de “ser um edifício novo com condições, neste momento não pode contratar mais”.

“Quando as necessidades em Saúde Mental são mais do que nunca, porque os dois anos de pandemia, também, aumentaram essa necessidade, o SNS não está a ter os recursos que precisa”, afirmou Catarina Martins.

Questionada quanto ao futuro do Hospital de Serpa, Catarina Martins considerou que “tem que ser público” e que “foi um erro” entregá-lo à Misericórdia.

Acrescentou que “neste momento, no Hospital de Serpa corre tudo mal, tanto para os utentes, como para os profissionais”.

Para a coordenadora do BE, só há uma solução para o Hospital de Serpa: resgatá-lo para a esfera pública e dotá-lo de todos os meios e condições.