Câmara de Moura solidária com o caso “Todos com o Miguel”

Esta semana, a Rádio Pax partilhou a história de Miguel, um menino de 6 anos a quem foi diagnosticado leucemia, nomeadamente, síndrome mielodisplásica, uma doença rara que neste caso, apenas, tem como única esperança o transplante de medula óssea.

De forma a apoiar esta causa, a autarquia de Moura disponibiliza transporte para a realização da colheita de sangue, que se realiza no Hospital de Beja. Para isso, o município explica que basta contactar a Câmara, através do número 285 250 400.

Para doar sangue e inscrever-se como dador de medula óssea pode dirigir-se ao piso 0 do Hospital de Beja ou, então contactar o serviço de sangue do hospital da sua área de residência.

Para ser dador tem de ter entre 18 e 45 anos, ter peso igual ou superior a 50 quilos, altura superior a 1,5 metros, ser saudável e não ter feito transfusões após 1980.

A recolha não tem impactos negativos para o dador e em “quase 80% das vezes” a medula é extraída sem envolver cirurgia, num processo semelhante à transfusão de sangue. O dador pode sentir apenas um ligeiro desconforto e vai para casa no próprio dia.