12°C
Fog

Cáritas de Beja vai criar Centro de Alojamento de Emergência Social

Cáritas de Beja vai criar Centro de Alojamento de Emergência Social

A Cáritas Diocesana de Beja vai criar um Centro de Alojamento de Emergência Social (CAES), projeto avaliado em 800 mil euros que deve estar em funcionamento “dentro de ano e meio”, revelou hoje o presidente da instituição alentejana.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Cáritas de Beja, Isaurindo Oliveira, explicou que o futuro CAES resulta de uma parceria com a Segurança Social e irá funcionar no edifício da Casa do Estudante, no centro da cidade.

“Será uma estrutura que abrangerá toda a gente”, nomeadamente “as pessoas que recorram à Linha 144 [Linha Nacional de Emergência Social]”, disse.

Isaurindo Oliveira acrescentou que o CAES “será um alojamento de curta duração até que as pessoas” em situação de emergência social “consigam ser colocadas”, lembrando que “Beja é o único distrito que não tem esta estrutura”.

O novo CAES de Beja terá capacidade para acolher 30 pessoas e irá ocupar as instalações da Casa do Estudante, que irão ser alvo de obras de requalificação, “nomeadamente nas acessibilidades”.

O projeto está avaliado em cerca de 800 mil euros, tendo um apoio de 85% garantido através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Enquanto o CAES não entra em funcionamento, continuará aberta a Estrutura de Alojamento Coletivo de Emergência da Cáritas de Beja, que neste momento apoia, de “forma precária”, a comunidade timorense, disse Isaurindo Oliveira.

O projeto de abertura do CAES surge depois de, em dezembro de 2022, o presidente da Cáritas de Beja ter assumido, em entrevista à Rádio Renascença, a possibilidade de a instituição fechar ou reduzir algumas da suas respostas sociais, devido à demora nos pagamentos por parte do Estado.

Segundo adiantou o presidente à Lusa, as dificuldades “mais prementes” foram entretanto minimizadas, “pois houve uma série de pagamentos feitos” pelo Estado e “essa pressão, pelo menos tão vigente, está atenuada”.

Isaurindo Oliveira acrescentou que a Cáritas de Beja “é uma instituição que não tem dívidas” e que a maioria dos serviços que presta “é economicamente viável”.

“Mas, por vezes criam-se problemas de tesouraria muito complicados” e a possibilidade de encerrar serviços “continua sempre em cima da mesa”, admitiu.

Foi o que sucedeu com a Loja de Proximidade, que a instituição tinha a funcionar no centro da cidade de Beja e que fechou portas no início do ano, por “razões económicas”.

“Durante três ou quatro anos aquilo deu algum rendimento, que suportava a funcionária e dava para funcionar”, mas nos últimos tempos “passou a dar um prejuízo muito grande”, pelo que a solução foi encerrar a loja, justificou o presidente da Cáritas de Beja.

Rádio Pax / Lusa

PUB

PUB

PUB

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn

Farmácia de serviço hoje na cidade de Beja

Publicidade

Mais Lidas

1
Ourique
Incêndio fatal em Ourique: homem perde a vida aos 62 Anos
2
Ressonância
Hospital de Beja: A espera terminou, Ressonância Magnética chegou
Devemos acarinhar os eleitores do Chega? Não! Não podemos
4
Bombeiros
Polémica nos Bombeiros de Beja: Lista rejeitada responde a comunicado da direção 
5
Odemira
Alunas de Odemira brilham em competição de ciência em Itália
6
25 de Abril
50 anos de Abril: Catarina Eufémia, um símbolo da luta antifascista
7
agricultores
Agricultores que cortaram estrada em Serpa identificados pelas autoridades
8
roubos em Beja
Semana com ameaças, agressões e roubos em Beja

Recomendado para si

17/04/2024
Beja promove interculturalidade
Odemira
17/04/2024
Odemira instala novos oleões pelo concelho
Aljustrel
17/04/2024
CPCJ de Aljustrel comemora 14º aniversário com conferência
Mértola
17/04/2024
Moradores do Centro Histórico de Mértola apresentam propostas de melhorias
16/04/2024
Viaturas incendiadas em Beja
16/04/2024
IPBeja e a Universidade de Luanda traçam novos rumos
16/04/2024
Obra concluída na EN 258-1 em Cuba
16/04/2024
Alvito alia cultura e turismo