Cáritas dedica Círculo de Silêncio às minorias étnicas

A Cáritas de Beja agendou para esta tarde mais um “Círculo de Silêncio”.
“Conviver com a diferença- Pelos direitos das minorias étnicas” é o tema escolhido.

De acordo com a Cáritas, “o principal desafio da sociedade (…) é a inclusão de minorias e o racismo, não apenas em relação aos afrodescendentes, mas também aos ciganos. São problemas de trabalho, de escola, de habitação, de relações sociais e mesmo de racismo implícito que, de vez em quando, aflora em algumas manifestações, felizmente em níveis baixos.

Embora não existam números em Portugal, a Cáritas adianta que “a maior minoria racial portuguesa será de origem africana (Cabo Verde, Guiné, Angola e Moçambique, estes dois últimos com menor expressão) e que a única minoria étnica nacional considerada oficialmente em Portugal são os ciganos”.

Márcio Guerra, técnico da Cáritas de Beja, frisa que em Portugal “ainda existem áreas em que é preciso melhorar os direitos humanos”.

A Cáritas Diocesana de Beja organiza o “Círculo de Silêncio”, pelas17h30, nas Portas de Mértola, em parceria com a Câmara Municipal de Beja, Rede Social, Núcleo de Beja da Rede Europeia Anti-Pobreza, Santa Casa da Misericórdia de Beja, a associação Aris da Planicie e o Centro Social do Bairro da Esperança.   Tema: Conviver com a diferença – Pelos direitos das minorias étnicas.