CDU critica falta de “visão estratégica” da Câmara de Beja

Os eleitos da CDU na Câmara de Beja consideram que “o trabalho realizado, pelo actual executivo municipal, ao longo destes dois anos de mandato, e ainda que com algumas iniciativas positivas, fica muito aquém do desejável”.

Para os eleitos comunistas “este executivo de maioria PS limitou-se a dar andamento a projectos da CDU, nomeadamente a nível cultural, como é o caso da Beja Romana, do Beja Acontece e das Noites ao Fresco”.

Em conferência de imprensa realizada hoje, a CDU fez um balanço negativo de dois anos de mandato socialista na Câmara de Beja.

O vereador da CDU, João Rocha, lamentou que projectos “estruturantes para o concelho e para a região” tenham caído “sem justificação” e deu como exemplo o Centro de Arqueologia e Artes – o Fórum Histórico de Beja.

O antigo presidente da Câmara disse que a maioria PS não tem qualquer estratégia para o Centro Histórico de Beja, que em sua opinião está a “definhar”.

Em matéria de acessibilidades, a CDU considera que “não se deu andamento à ligação do Bairro do Pelame à Rua Sousa Porto, reduziram-se e alteraram-se incompreensivelmente as intervenções previstas no âmbito do Beja Acessível, apesar de se ter dado continuidade à requalificação das estradas e caminhos, possibilitada pela aquisição da central de massas, feita pelo anterior executivo CDU, e que tantas críticas mereceram por parte dos que agora governam o concelho”.

João Rocha acusou ainda o executivo socialista de “falta de afirmação” na reivindicação de medidas como é o caso da electrificação da linha ferroviária, a conclusão do IP8 e a construção da segunda fase do Hospital de Beja.

Para a CDU esta “é uma Câmara sem visão estratégica e de desenvolvimento”.