CEBAL e IPBeja promovem webinar sobre reutilização de águas residuais

O CEBAL e o IPBeja promovem, nesta quinta-feira, o webinar de encerramento do projeto “Hydroreuse – Tratamento e Reutilização de Águas Residuais Agroindustriais”.

“Com a problemática da escassez de água no Alentejo, a necessidade de encontrar fontes de água alternativas e a crescente preocupação em desenvolver sistemas produtivos mais resilientes”, um consórcio internacional liderado pelo Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL) e pelo Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) tem vindo a desenvolver soluções para o tratamento e reutilização de águas residuais agroindustriais, no âmbito do projeto HYDROREUSE.

Os resultados obtidos serão apresentados, hoje, entre as 14:30 e as 16:30 horas, através da plataforma Zoom, na sessão de encerramento do projeto, através do Webinar “Tratamento e Reutilização de Águas Residuais Agroindustriais – Projeto HYDROREUSE”.

O projeto HYDROREUSE, iniciado em julho de 2016, teve por objetivo desenvolver soluções para a gestão de águas residuais agroindustriais através do seu tratamento e reutilização em sistemas hidropónicos para produção de plantas comestíveis.

Neste projeto foram utilizadas águas residuais de várias atividades agroindustriais com expressão no Alentejo, como queijarias, lagares, adegas e matadouros, sendo estas águas residuais caracterizadas e desenvolvidos processos de pré-tratamentos para remoção dos seus contaminantes.

As águas residuais pré-tratadas, de diferentes origens, foram aplicadas nos vários sistemas de hidroponia desenvolvidos para verificação da eficácia dos sistemas hidropónicos para tratamento das águas residuais e simultaneamente produção de alimentos – alface e tomate.

No webinar de encerramento do projeto HYDROREUSE vão estar reunidos os vários investigadores que pretendem transferir o conhecimento e a tecnologia ao tecido produtivo mostrando como é possível utilizar os sistemas hidropónicos para o tratamento de águas residuais agroindustriais e simultaneamente produzir plantas comestíveis.

O projeto HYDROREUSE foi cofinanciado pelo programa Alentejo 2020 através do FEDER (ALT20-03-0145-FEDER-000021) e contou também com a participação da Universidade da Beira Interior e a Universidade da Extremadura.