Cereais com menor área plantada do último século

As previsões agrícolas do Instituto Nacional de Estatística (INE), apontam para um decréscimo de 25% da produção de azeite face à campanha anterior, mantendo, no entanto, um resultado superior a 1,1 milhões de hectolitros. O Instituto aponta este como o terceiro ano mais produtivo das últimas décadas.

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas revela que esmagadora maioria das sementeiras dos cereais de Inverno concluiu-se no final de Janeiro, e decorreu sem incidentes. O INE prevê uma redução, face à campanha anterior, de 10% nas áreas instaladas de trigo e triticale e de 5% na cevada. O Instituto frisa que “este cenário de redução global da área dos cereais de Inverno (-5% face a 2018 e -20% face à média dos últimos cinco anos) posiciona esta campanha como a que regista a menor área dos últimos cem anos”.

No mesmo documento pode ler-se que “a ausência de precipitação, associada a uma grande amplitude térmica (baixas temperaturas nocturnas e altas temperaturas diurnas), conduziu a um considerável adiantamento no desenvolvimento vegetativo das pastagens e forragens”.  Este cenário “pode comprometer a normal curva de crescimento de matéria verde dos próximos meses, com naturais implicações no fornecimento de alimentos aos efectivos”.  De forma generalizada, “os animais continuam sem dificuldades de acesso às pastagens, sendo o recurso a alimentos conservados (palhas, fenos e silagens) e concentrados (rações industriais) considerado normal para a época e muito inferior ao que sucedia no ano passado”, conclui o INE.