Cereais em mínimos históricos devido à seca

As previsões Agrícola do Instituto Nacional de Estatística (INE) a 31 de Janeiro, apontam para um aumento da produção de azeitona para azeite de 25%, face a 2016.

Os olivais intensivos compensaram a menor produtividade dos tradicionais, afectados pela seca.

Quanto aos cereais de Outono/Inverno, o INE aponta “pelo quinto ano consecutivo, uma diminuição da área instalada, prevendo-se que nesta campanha se atinja um mínimo histórico de 121 mil hectares, a menor área dos últimos cem anos (desde que existem registos)”. Tal fica a dever-se à situação de seca que atinge o país.

O INE realça que “as baixas temperaturas e a escassa precipitação conduziram a um abrandamento no desenvolvimento vegetativo dos prados, pastagens e culturas forrageiras”. Devido à situação de seca a produção de pastagens é inferior ao normal, obrigando a uma antecipação do consumo de alimentos conservados e concentrados. A grande maioria das explorações agro-pecuárias já esgotou as reservas de palhas e fenos, prevendo-se que tenham de continuar a recorrer a alimentos adquiridos.