Controvérsia sobre encerramento de lares: CVP contradiz notícia da Rádio Pax

Na sequência da notícia “Impacto Social: Iminente o encerramento dos lares da Cruz Vermelha em Beja”, do passado dia 16 de janeiro, a Direcção Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) contactou a Rádio Pax para “esclarecer” alguns pontos: 

A CVP garante estar “comprometida com os beneficiários das Estruturas Residenciais Para Pessoas Idosas (ERPI’s), com as suas famílias e com todos os funcionários que diariamente trabalham na Casa de Repouso Henri Dunant e na Casa de Repouso José António Marques”.

Em relação ao estado em que se encontram os dois edifícios, a CVP diz estar “ativamente e em coordenação com as entidades competentes, a procurar a melhor solução para toda a comunidade abrangida pelas ERPI’s”.

A Direcção Nacional da CVP garante, ainda, que “nenhuma resposta será encerrada até ser encontrada a melhor solução para todos”.

Em relação ao “Edifício da Refer”, que é apresentado na notícia da Pax com o título “Do sonho ao pesadelo: CVP Investe 1,6 milhões de euros em lar que se tornou em ruína e problema social”, a Direcção Nacional vem informar que “irá proceder ao entaipamento do edifício imediatamente após a sua desocupação, que será promovida pelas entidades competentes, com quem está em estreita coordenação”.

Relativamente à informação por nós veiculada sobre o encerramento de outros lares em vários pontos do país, a CVP afirma que “não corresponde à verdade”, lamentando “não ter sido questionada sobre este tema, nem sobre os restantes contidos na notícia”. 

A Rádio Pax mantém todo o conteúdo da notícia.

Ao contrário do que afirma a CVP, esta estação emissora falou com o Tenente Coronel Jorge Farinha, director da Delegação de Beja que, apesar da nossa insistência, não quis dar qualquer explicação, remetendo para a Direção Nacional. Nós tentámos diversas vezes, como facilmente se pode provar, o contacto telefónico com a CVP, só que nunca obtivemos resposta.