Elevada precipitação condiciona sementeiras

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revela que “as sementeiras dos cereais foram fortemente condicionadas pela elevada precipitação de novembro e dezembro que saturou os solos e impediu a entrada das máquinas nos terrenos”.

As previsões agrícolas do INE, referentes a 31 de dezembro, indicam que com exceção da aveia, cuja área deverá aumentar 5% e do centeio, em que não se preveem alterações, “as áreas dos cereais para grão são inferiores às do ano anterior, sendo o decréscimo previsto de 10% para o trigo mole e 5% para o trigo duro e triticale”.

O Instituto adianta que algumas sementeiras podem ser realizadas este mês caso existam condições meteorológicas favoráveis.

As searas semeadas entre outubro e início de novembro germinaram bem e apresentam um desenvolvimento vegetativo “normal”.

Nos olivais, a quebra de produção deverá atingir os 35% face ao ano anterior. Este decréscimo é justificado pelo facto de ser um ano de contrassafra, pelas elevadas temperaturas e seca e pelos ataques da mosca da azeitona e de gafa.

“As chuvas de dezembro, associadas às temperaturas amenas, vieram colmatar plenamente as carências hídricas dos prados, pastagens e culturas forrageiras, que apresentam um bom desenvolvimento vegetativo”, adianta o INE.