12°C
Scattered clouds

Entrevista: Nuno Faustino

Entrevista: Nuno Faustino

Associação de Criadores do Porco Alentejano preocupada com a falta de apoios à criação

A Feira do Porco Alentejano é um marco muito importante no caminho de promoção e valorização do Porco Alentejano considera Nuno Faustino. O presidente da Associação de Criadores do Porco Alentejano falou à Rádio Pax da importância deste certame na divulgação da raça e das principais preocupações da ACPA que se predem com a falta de apoios à criação de suínos. Apesar de todos os esforços e pressões, esta é uma situação que ainda não foi contemplada no quadro comunitário que termina em 2020.

Considera que a Feira do Porco Alentejano tem contribuído de alguma forma para a divulgação da raça?

Sem dúvida. A Feira do Porco Alentejano tem um papel importantíssimo na valorização e divulgação da raça e dos produtos do porco alentejano, não só a nível regional como a nível nacional. É sempre um marco assinalável porque voltamos uma vez mais a realçar o porco alentejano, os seus benefícios para a saúde e as suas caraterísticas únicas ao nível dos sabores. Esta feira já tem uma visibilidade além-fronteiras o que representa um passo importante na promoção da raça. De qualquer forma é muito importante pensar na consolidação do certame a nível nacional e posteriormente apostar na divulgação da raça, dos produtos e até numa divulgação internacional.

Considera importante ter Portel como região convidada?

Sim, claro. Ourique partilha com Portel interesses comuns na defesa do montado como sistema fundamental para a afirmação do Mundo Rural. Os problemas do montado devem ser debatidos e esta é mais uma boa oportunidade de tentar encontrar soluções.

Quais são as principais preocupações da Associação de Criadores do Porco Alentejano?

A nossa principal preocupação continua a prender-se com a falta de apoio à produção de suínos. O quadro comunitário de apoio que termina em 2020 deixou os suinicultores de fora, em comparação com outros criadores que contam com apoios à produção. Esta desvantagem cria constrangimentos na produção e desenvolvimento da raça. Apesar de todos os esforços, a produção suína continua a não ser elegível em muitas das medidas comunitárias. Não acredito que as coisas se alterem até ao final deste quadro comunitário, mas continuaremos a tentar todos os esforços para que a situação se altere e colocar os produtores de porco alentejano com iguais oportunidades do que outros produtores.

PUB

PUB

PUB

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn

Farmácia de serviço hoje na cidade de Beja

Publicidade

Mais Lidas

1
Ourique
Incêndio fatal em Ourique: homem perde a vida aos 62 Anos
2
Ressonância
Hospital de Beja: A espera terminou, Ressonância Magnética chegou
Devemos acarinhar os eleitores do Chega? Não! Não podemos
4
Bombeiros
Polémica nos Bombeiros de Beja: Lista rejeitada responde a comunicado da direção 
5
Odemira
Alunas de Odemira brilham em competição de ciência em Itália
6
25 de Abril
50 anos de Abril: Catarina Eufémia, um símbolo da luta antifascista
7
roubos em Beja
Semana com ameaças, agressões e roubos em Beja
8
agricultores
Agricultores que cortaram estrada em Serpa identificados pelas autoridades

Recomendado para si

serpa
22/05/2024
Programa Serpa 22-05-2024
Pavilhão das Aves
04/05/2024
Pavilhão das Aves: Uma atração de destaque na Ovibeja
Noticiário
16/04/2024
NOTICIÁRIO 16-04-2024
IPBeja
04/04/2024
“Renaturalização da Agricultura” é tema de Congresso no IPBeja
28/03/2024
EDIA disponibiliza Anuário Agrícola de Alqueva
06/03/2024
GNR deteve dois indivíduos por furto de produtos agrícolas
06/02/2024
GNR desenvolve operação “Floresta Segura”
04/02/2024
NOTICIÁRIO 04-02-2024