“Festival B” mantém monumentos históricos abertos até à meia noite

Sofia Alves e António Chaínho são a proposta para a primeira noite do “Festival B”, que arranca, esta quinta-feira, em Beja.

A 2ª edição da iniciativa que se prolonga, até domingo, dedica-se “à celebração de Mariana Alcoforado e à comemoração dos 350 anos da primeira edição impressa das cinco Cartas Portuguesas”.

O festival vencedor da categoria “Melhor evento do Ano 2018” dos Prémios Turismo do Alentejo é apontado como “o momento cultural mais alto da cidade de Beja em 2019”.

A iniciativa desenvolvida no Centro Histórico de Beja une, através de quatro palcos, um roteiro que destaca também o património edificado da cidade.

Ao longo de 4 dias cerca de 40 artistas/grupos criam propositadamente para o Festival B mais de 20 espectáculos de diferentes disciplinas artísticas e géneros, através de fusões entre si e de identificação com o universo de Mariana Alcoforado.

“Uma das novidades da iniciativa é a realização de residências artísticas e de concepção de espectáculos próprios criando novas dimensões de promoção e valorização da figura histórica de Soror Mariana Alcoforado, a sua dimensão e o seu reconhecimento internacional”, anuncia a Câmara de Beja, entidade promotora.

Paulo Arsénio, presidente do Município espera uma “edição de grande qualidade com espectáculos exclusivos”, que convidam a “descobrir o património da cidade”.

Hoje, amanhã e sábado, a Capela da Piedade, o Castelo de Beja e o Museu Regional Rainha D. Leonor estão abertos até à meia noite. No domingo, último dia do Festival, os espaços encerram às 21 horas.

Durante os dias do Festival, o parque de estacionamento da Avenida Miguel Fernandes é gratuito.

Esta noite está também previsto um espectáculo de dança, no Largo do Lidador.

A actuação de Sofia Alves e António Chaínho realiza-se no Largo do Museu Regional, às 22 horas.