INE estima aumento da produção de amêndoa

As previsões agrícolas do INE-Instituto Nacional de Estatística, em 31 de julho, apontam para um aumento da produtividade de amêndoa.

Segundo o Instituto, “nas principais regiões produtoras (Trás-os-Montes e Alentejo) as amendoeiras apresentam um bom desenvolvimento vegetativo, com uma carga de frutos muito significativa nos pomares mais novos”.

“A produtividade deverá aumentar 20%, para as 0,73 toneladas por hectare, valor mais elevado das últimas duas décadas e que resulta não só das boas condições ambientais da campanha, mas também da entrada em plena produção de muitos pomares recentemente instalados”, adianta a mesma fonte.

Nas vinhas, o INE prevê uma “diminuição de produtividade nas regiões vitivinícolas do Minho, Tejo e Lisboa” que serão “compensadas pelos aumentos nas restantes, pelo que se deverá manter um rendimento unitário semelhante ao obtido na vindima anterior (36 hectolitros por hectare)”.

Nos cereais de inverno grande parte da colheita já está terminada. O INE sublinha que “a acentuada redução dos teores de humidade do solo na fase de enchimento do grão não permitiu alcançar as produtividades inicialmente antecipadas, principalmente nas searas instaladas mais cedo e, em particular, no Alentejo Central e Baixo Alentejo”.

O Instituto estima “reduções de 5% na produção de centeio, de 10% na de trigo mole e cevada e de 15% na de trigo duro, triticale e aveia. Globalmente a produção nesta campanha deverá ficar ligeiramente acima das 200 mil toneladas, 10% abaixo da média do último quinquénio.