INE estima quebra de 15% na produção de azeite

O INE sublinha, nas suas previsões referentes a 31 de Outubro, que “o facto de ter chovido continuamente durante este período dificultou a realização de tratamentos fitossanitários, havendo muita azeitona sem condições sanitárias para ser colhida, principalmente na variedade Galega”.

Neste momento está a produzir-se “muito azeite com grau de acidez superior a 1%, situação atípica numa fase tão precoce da campanha e com evidentes prejuízos na qualidade e valorização do produto”, revela a mesma fonte.

O Instituto estima uma redução na produção de vinho de 10%, face à vindima de 2013. As chuvas, o ataque de míldio, oídio, podridão cinzenta e traça da uva contribuíram para esta quebra.

Quanto ao girassol, a chuva dificultou a colheita mas não prejudicou a produtividade que deverá aumentar 35%, comparativamente com 2013.

A disponibilidade de água e as temperaturas acima da média para a época beneficiaram os prados, pastagens e culturas forrageiras, revela o INE.