Manuel Narra condenado a cinco anos de prisão com pena suspensa

O ex-presidente da Câmara Municipal de Vidigueira, Manuel Narra, foi hoje condenado a cinco anos de prisão com pena suspensa, pelo crime de peculato e absolvido do crime de falsificação de documento.

Manuel Narra foi condenado, por um coletivo de juízes do Tribunal de Beja, a proceder ao pagamento mensal de cerca de 708 euros, durante cinco anos, no total de 42.508,80 euros, ao Município da Vidigueira. Se não o fizer, terá de cumprir pena.

O montante é equivalente ao recebido indevidamente por Manuel Narra, por custos com deslocações, entre a sua residência fiscal no Monte da Caparica e o município de Vidigueira, entre novembro de 2013 e outubro de 2017.

Foi ainda condenado a 60 dias de multa à taxa diária de 20 euros o que perfaz um total de 1.200 euros.

Depois de conhecer o acórdão, o antigo presidente da Câmara disse aos jornalistas que, no Tribunal “foi a primeira vez que ouviu falar que as deslocações do domicílio para o serviço não eram suscetíveis de serem reembolsáveis”.

Manuel Narra acrescentou que só recebeu as ajudas de custo depois de informação prestada pelo Chefe de Divisão e acrescentou que qualquer crime cometido foi “involuntário e com base numa informação incorreta dos serviços”.

Questionado sobre a suspensão de mandato, Manuel Narra, atual vereador da Câmara de Vidigueira por um movimento independente, disse que vai analisar a questão.