Movimento Vidigueira Independente “repudia não-aceitação de competências de forma ilegal”

O Movimento Vidigueira Independente (MVI) vem em nota de imprensa repudiar “a forma encontrada pela CDU para rejeitar as competências a transferir para o Município”.

O MVI refere que em reunião da Câmara, a proposta da CDU para rejeição de competências, não passou e “vem o Presidente da Assembleia Municipal convocar uma reunião de Assembleia Municipal, para que a rejeição das competências pudesse ocorrer”.

O comunicado prossegue dizendo que “não havendo nenhuma proposta aprovada pelo executivo, deixou de haver base legal para a convocação da sessão da Assembleia Municipal”.

O Movimento entende que “a incapacidade do executivo da CDU de criar pontes e consensos (…) veio criar esta situação verdadeiramente intolerável de ver o Presidente da Assembleia Municipal querer substituir- se ao executivo da Câmara, apresentando ele próprio as propostas de recusa de transferência de competências”.

Helena D’Aguilar, vereadora eleita pelo movimento Vidigueira Independente na Câmara acusa o presidente da Assembleia Municipal de estar a praticar “uma ilegalidade”.