Mulheres Socialistas defendem o fim da violência

A Estrutura Federativa das Mulheres Socialistas assinala hoje o Dia Internacional para a eliminação da violência contra as mulheres.

O movimento liderado por Marisa Saturnino repudia “todas as situações que colidam com o respeito pelos direitos humanos e atentem contra os princípios constitucionais da igualdade, da não discriminação e da dignidade humana.”

De acordo com as Nações Unidas, “a violência contra a mulher refere-se a todo o ato de violência baseado no género que tem como resultado dano físico, sexual e psicológico, incluindo ameaças, coerção e privação arbitrária da liberdade, seja na vida pública ou na vida privada.”

A mesma organização refere que “uma em cada três mulheres é sujeita a qualquer tipo de violência, sendo que, na última década, os números têm-se mantido praticamente inalteráveis. Trata-se de um problema que continua assustadoramente generalizado e inicia- se cada vez mais cedo, o que justifica o facto de uma em cada quatro mulheres, com idade compreendidas entre os 15 e 24 anos, já terem sofrido de violência.”