Município de Cuba exige investimentos na ferrovia

A Câmara de Cuba denuncia o que classifica de “estado deplorável do serviço ferroviário” e reclama soluções urgentes.

No seguimento da avaria de uma automotora na última sexta-feira, que obrigou os passageiros com destino a Vila Nova da Baronia, Cuba e Beja a serem assistidos pelos Bombeiros e pela GNR, o Município de Cuba anuncia que vai avançar com uma exposição do assunto junto Primeiro-Ministro e do respectivo ministério que tutela os transportes, bem como junto dos demais órgãos políticos de soberania.

Para a autarquia de Cuba ”a referida situação lamentável evidencia bem o estado a que chegaram os caminhos-de-ferro portugueses, vítimas do desinvestimento de sucessivos Governos, sendo por isso imperativo voltar a olhar com prioridade para este meio de transporte, quer por forma a potenciar o desenvolvimento socioeconómico da região, quer por forma a garantir, de uma vez por todas, a segurança e qualidade do serviço do transporte ferroviário no Alentejo”.

A Câmara exige assim a “alteração no paradigma do investimento público por forma a realizar os investimentos necessários à boa exploração do transporte ferroviário, dotando as estações, as vias e o material circulante das condições adequadas a uma boa prestação do serviço público de transporte ferroviário de passageiros”

Por outro lado, reclama “o cumprimento as resoluções emanadas da Assembleia da República nesta matéria, nomeadamente a que ‘Defende a valorização da linha ferroviária do Alentejo e a promoção da mobilidade ferroviária no distrito de Beja’, aprovada a 24 de Março de 2017.

Há muito que a Câmara de Cuba vem alertando para os problemas na linha ferroviária do Alentejo e este incidente “comprova” a justiça das exigências apresentadas, frisa João Português. presidente do município de Cuba.