Pagamentos em atraso levam a intervenção do PCP

O Grupo Parlamentar do PCP reuniu com dirigentes da Escola Profissional de Odemira.

De acordo com o Partido Comunista, aquele estabelecimento de ensino tem a receber do POCH – Programa Operacional do Capital Humano, um valor superior a 1,2 milhões de euros.

O PCP questionou o Governo sobre esta matéria dado que os atrasos nas transferências “estão a criar muitos problemas financeiros à instituição” como “atrasos nos pagamentos dos salários”.

A escola tem 280 alunos e 40 trabalhadores do quadro, pelo que as dificuldades causadas pelos atrasos “têm sérias implicações na vida de muitas pessoas”, adianta o Partido Comunista.

O Grupo Parlamentar do PCP, pela mão de João Ramos, deputado eleito por Beja, perguntou ao Ministério da Educação se conhece este problema, se o atraso se deve à escassez de recursos humanos nas estruturas do programa e quando serão efectuadas as transferências das verbas em dívida à Escola Profissional de Odemira.