PCP acusa Governo de não ter política que “valorize o interior”

A Direcção Regional do Alentejo (DRA) do PCP considera que “persistem na região graves problemas por resolver, particularmente nas áreas do desenvolvimento económico e social, decorrentes da ausência de uma política que valorize efectivamente o interior”.

Esta é uma das conclusões saída da última reunião da Direcção Regional do Partido Comunista.

Em nota enviada às redacções, o PCP frisa que “ao contrário do que afirmam dirigentes regionais do PS, ‘que o Alentejo progride quando o PS está no governo’, o Alentejo não só estagnou como regrediu ao longo dos últimos 42 anos em que PS, PSD e CDS governaram o país”.

Os comunistas apontam como exemplo da “convergência” do PS à “direita”, a votação do Projecto de Resolução para um Plano Imediato de Intervenção Económica e Social para o Alentejo e os cortes na transferência de verbas do Orçamento de Estado para as autarquias.

Miguel Violante, membro da DRA do PCP, acusa o Governo de continuar “amarrado” às imposições da União Europeia e às “políticas de direita”.