PJ deteve 35 suspeitos de escravizarem imigrantes em Beja (com fotografias)

A Polícia Judiciária desenvolveu várias buscas no Baixo Alentejo por suspeita de crimes relacionados com o tráfico de seres humanos para trabalho nos campos da região.

Ao todo foram detidos 35 suspeitos da prática de crimes de associação criminosa, tráfico de pessoas, branqueamento de capitais e falsificação de documentos.

Esta é já considerada uma das maiores operações de sempre da PJ. Envolveu mais de 400 inspetores, em cerca de 65 buscas no Alentejo.

De acordo com a CNN Portugal, a rede, montada a partir do distrito de Beja, conta com angariadores no Leste da Europa, como na Ucrânia ou Roménia, além de países como a Índia, Paquistão ou Timor. 

A mesma fonte indica que os suspeitos “ficam com os ordenados das vítimas, pagos pelos empregadores, e fazem fortuna, ostentando vários sinais exteriores de riqueza. Contam ainda com a colaboração de uma solicitadora da vila de Cuba, também detida, para a criação de empresas fantasma e falsificação de documentos”. 

Junto ao Parque da Cidade de Beja estão instaladas tendas e contentores onde estão a ser ouvidas alegadas vítimas.