Prisão preventiva para “Burlão do Amor”

Prisão preventiva foi a medida de coação aplicada, ao homem de 55 anos, suspeito de seduzir várias mulheres, pessoalmente e, através das redes sociais, para depois as roubar e agredir.

O sujeito é indiciado de cinco crimes, nomeadamente, violência doméstica, burla qualificada, abuso de confiança, detenção de arma proibida e tráfico de menor gravidade.

O “Burlão do Amor”, que foi, esta quarta-feira, presente para primeiro interrogatório, no Tribunal de Beja, fica para já, em prisão preventiva, que passará a prisão domiciliária – em casa da mãe no Estoril – com recurso a pulseira electrónica.

Recorde-se que o indivíduo foi detido, na passada segunda-feira, na sequência da operação “Amores Imperfeitos” que contou com a colaboração da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo e da Unidade de Intervenção da GNR e envolveu várias buscas a residências e veículos na região de Lisboa e em Mértola, que resultaram na apreensão de armas, viaturas, dinheiro e cartas de condução falsas.

De acordo com a PJ, o suspeito, que tinha antecedentes policiais por crimes de burla qualificada e roubo, terá seduzido, pessoalmente e através das redes sociais, várias mulheres, com promessas de compromisso afetivo.

“Após ganhar a confiança das vítimas, o arguido desenvolvia ações enganosas, levando-as a entregar-lhe bens materiais e patrimoniais e sujeitando-as, posteriormente, a ofensas corporais graves”, explica a nota.

Nas buscas às residências foram apreendidas duas armas de fogo e uma réplica, armas brancas, três cartas de condução falsas, três viaturas, duas das quais de gama alta, e ainda uma elevada importância monetária em numerário.

Rádio Pax/Lusa