12°C
Scattered clouds

Publicidade: Programa Mais Habitação – O que é? Pode beneficiar dele?

Publicidade: Programa Mais Habitação – O que é? Pode beneficiar dele?

O panorama do mercado de habitação em Portugal tem enfrentado o seu quinhão de dificuldades, seja no passado recente como num passado mais longínquo. Hoje, e por força de diversos fatores, adquirir e/ou manter um imóvel apresenta-se como um desafio.

Vários motivos estão na raiz desta situação: abrandamento da economia mundial, a subida das taxas de juro e o arrendamento “agressivo”. Como seria de prever, as condições para créditos à habitação refletem a realidade do mercado.

Com perdas de dinâmica para o mercado residencial na ordem dos 7.6% nos últimos 48 meses, inquilinos e senhorios urgem que o Estado intervenha e tome ação. Surge assim o programa Mais Habitação.

Descubra neste artigo no que consiste este programa, quais os seus objetivos, quem são os seus beneficiários, quanto pode esperar poupar e soluções alternativas para que consiga equilibrar as suas finanças com efeito imediato.

O Programa Mais Habitação
Em suma, o programa Mais Habitação consiste num conjunto de medidas que vem sendo discutido pelo Governo com o objetivo de facilitar o acesso à habitação a todos aqueles que se encontrem vedados ou em dificuldade de o fazer.

Contemplando diversas medidas para implementação, a cimentar com maiores certezas a 16 de março num Conselho de Ministros, o programa visa estimular o mercado de arrendamento e incentivar a construção de novos empreendimentos.

Não são ainda conhecidas todas as envolvências que lidam com matérias fiscais, sendo que a proposta final será apresentada também ela à Assembleia da República no dia 16 de Março. Mas conhecemos já os contornos gerais da proposta para este departamento.
Para Quem?
É necessário que vá ao encontro de determinadas condições para poder tirar partido desta bonificação. Estas condições são cumulativas: é necessário que as reúna na totalidade para poder usufruir deste estímulo.

⦁ É mandatório que o crédito habitação que contraia tenha o objetivo de Aquisição de Habitação Própria e Permanente;
⦁ Crédito celebrado antes de 31/12/2022;
⦁ O montante em dívida não exceder os 200.000€;
⦁ Rendimento anual bruto do agregado familiar não pode exceder os 38.632€, equivalente ao limite do 6.º escalão de IRS;
⦁ A taxa de esforço do agregado é superior a 38%.

Quanto?
O montante máximo de que poderá beneficiar em 2023 é de uma redução total de 720,06€ (60€/mês). Esta figura é obtida com base em 1,5x o valor de IAS – Indexantes dos Apoios Sociais – que delimita a extensão dos apoios que o Estado pode providenciar às famílias.

Precisará de reunir um conjunto de dados para saber qual o valor do seu estímulo, caso se encontre elegível:

⦁ Indexante – a chamada taxa de referência – do contrato de crédito à habitação;
⦁ Valor do Indexante na celebração de crédito (normalmente falamos aqui da ⦁ Taxa Euribor a 6 ou 12 meses);
⦁ Valor do Indexante hoje;
⦁ Montante em dívida do crédito (não é ainda claro se contempla crédito pago ou apenas o montante em dívida).

A fórmula é então obtida através da seguinte fórmula:

⦁ Apoio = 50% x Montante em Dívida *(Indexante Valor Atual – Indexante Valor Inicial – 3%)

Quanto maior for o seu montante de crédito habitação em dívida, e a diferença entre a taxa Euribor atual e à data da contratação de crédito, maior será o valor do seu apoio.

A subtração dos 3% é fruto do aumento esperado de juros médio para o ano (sem fatores extra como por exemplo a inflação e subida de combustíveis), daí a sua exclusão.

Crédito Consolidado

Ainda não é claro se as medidas interventivas do Estado serão capazes de fazer jus à crise especulativa, e também bastante real, que o mercado de habitação português enfrenta neste momento.

As medidas em debate incidem sobretudo sobre créditos à habitação mas, em qualquer dos casos, uma consolidação de crédito poderá ser uma alternativa para muitos portugueses que estejam a enfrentar dificuldade em pagar as prestações do seu imóvel.

Ao recorrer a crédito consolidado junto de uma instituição financeira, esta adquire as obrigações que tenha junto dos seus múltiplos credores, somando juros a esse montante total em dívida. Assim, o prazo de pagamento é prolongado, acrescendo o montante total em dívida.

Para montantes aproximados aos praticados em créditos à habitação, o crédito consolidado de 120 meses é o que mais beneficia o consumidor pois pratica taxas de juro apelativas, poupança em comissões (pois só deverá a um credor), permite a requisição de financiamento posterior e é de aprovação rápida.

PUB

PUB

PUB

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn

Farmácia de serviço hoje na cidade de Beja

Publicidade

Mais Lidas

1
Ourique
Incêndio fatal em Ourique: homem perde a vida aos 62 Anos
2
Ressonância
Hospital de Beja: A espera terminou, Ressonância Magnética chegou
Devemos acarinhar os eleitores do Chega? Não! Não podemos
4
Bombeiros
Polémica nos Bombeiros de Beja: Lista rejeitada responde a comunicado da direção 
5
Odemira
Alunas de Odemira brilham em competição de ciência em Itália
6
25 de Abril
50 anos de Abril: Catarina Eufémia, um símbolo da luta antifascista
7
agricultores
Agricultores que cortaram estrada em Serpa identificados pelas autoridades
8
roubos em Beja
Semana com ameaças, agressões e roubos em Beja

Recomendado para si

20/03/2024
Equipamento de Ressonância Magnética é hoje inaugurado em Beja
01/09/2023
Moura apela à separação seletiva dos biorresíduos
01/09/2023
Ivandro sobe ao palco na “Feira Anual de Cuba”
01/09/2023
Castro Verde: “Festival Castro Mineiro” arranca esta sexta-feira
01/09/2023
Odemira promove “Setembro, uma imersão cultural”
01/09/2023
“Quinteto Quebra Tudo” e “Latin Jazz” no primeiro dia do “Be Jazz”
01/09/2023
Serpa e Vasco da Gama de Vidigueira deslocam-se ao Barreiro
29/08/2023
Executivo promove “precariedade laboral” diz CDU de Beja