Projecto da Associação Pedra Angular distinguido pela União Europeia

O projecto “Sound Anatomy of Unique Places- Sonotonia” da Associação Pedra Angular, entidade responsável pelo Festival Terras Sem Sombra, foi distinguido pela Comissão Europeia, no âmbito do programa “Europa Criativa”.

A concurso estiveram 346 projectos de vários estados europeus, mas apenas 87 foram selecionados para efeitos de financiamento comunitário.

O projecto “Sound Anatomy of Unique Places – SONOTOMIA” é desenvolvido pela equipa do Terras sem Sombra em articulação mais duas instituições:  a Fundación Santa María de Albarracin, do Governo de Aragão; e o Spatial Sound Institute, com sede em Budapeste, na Hungria, e actividade repartida por várias cidades alemãs, com realce para Berlim.

O “Sonotonia” foca-se “no uso das tecnologias digitais para estudar e desenvolver as relações entre a música e as paisagens sonoras e incide em três ambientes específicos – rural, marítimo e urbano”, explica a Pedra Angular.

José António Falcão, director geral do Terras Sem Sombra disse à Rádio Pax que o projecto “pretende mostrar a herança sonora do continente europeu”.

Ainda no âmbito do programa “Europa Criativa” 21 outras entidades portuguesas vão receber o apoio, na qualidade de parceiros de projectos coordenados por outros países.

O valor total do financiamento europeu para Portugal é de cerca de 1,3 milhões de euros.