Rui Raposo promete “máximo dos cuidados” para reduzir incidência

O presidente da Câmara de Vidigueira afirmou, hoje, que o concelho vai ter nos próximos dias “o máximo dos cuidados” para sair da taxa de incidência da Covid-19 superior a 120 casos por 100 mil habitantes.

“Nós vamos ter o máximo dos nossos cuidados e passar esse mesmo alerta à comunidade, porque a intenção é podermos passar esta quarta fase do desconfinamento e podermos ir, gradualmente, libertando um bocadinho dos constrangimentos que temos sentido”, disse Rui Raposo.

“Há aqui uma necessidade muito grande de conseguirmos regredir o número de casos ativos e fazendo este desconfinamento desta forma gradual”, acrescentou o autarca.

O primeiro-ministro, António Costa, referiu na quinta-feira que, ainda, que há 27 concelhos que devem estar em alerta, porque registam uma taxa de incidência da covid-19 superior a 120 casos por 100 mil habitantes, entre eles o de Vidigueira e o de Beja.

O primeiro-ministro anunciou, também, que a avaliação de risco de incidência da covid-19 vai passar a ser semanal, em vez de quinzenal.

Para Rui Raposo, o concelho da Vidigueira terá de ter nos próximos dias uma “atenção muito maior”, cumprindo com “todas as normas” da Direção-Geral da Saúde (DGS) para que, quando for feita nova avaliação, não ocorra qualquer tipo de riscos que levem o concelho a regredir.

“Nós estamos com 14 casos ativos, todos eles identificados e em isolamento profilático dos agregados familiares, estamos mesmo no limite. É entre os 14 e os 17 [casos] que entramos em risco elevado e, por isso, em qualquer altura, com menos casos, vamos para risco moderado e muito possivelmente, durante toda a esta semana, conseguiremos voltar à normalidade, a esta nova normalidade”, referiu.

Oito concelhos dos 278 existentes em Portugal continental não avançam para a quarta e última fase do atual plano de desconfinamento, a partir deste sábado, no âmbito da situação de calamidade devido à pandemia.

Entre os oito concelhos impedidos de prosseguir para a quarta fase estão Miranda do Douro, Paredes e Valongo, que se mantêm no nível em que se encontram, e Aljezur, Resende, Carregal do Sal e Portimão, que recuaram para diferentes etapas, mas que ficam também retidos, ainda que possa ser “por muito pouco tempo”, porque o Governo decidiu passar a fazer uma avaliação semanal.

O concelho alentejano de Odemira, também, integra o grupo de municípios que não avançam para a última fase do desconfinamento, tendo o executivo decretado uma cerca sanitária às freguesias de São Teotónio e de Almograve, devido à elevada incidência de casos de covid-19, sobretudo em trabalhadores do setor agrícola.

No entanto, às restantes freguesias deste concelho do distrito de Beja aplicam-se as regras previstas na quarta fase do plano de desconfinamento, a aplicar a partir de sábado.

Rádio Pax/ Lusa