Tribunal da Comarca de Beja reduziu processos pendentes

O relatório de 2018 do Tribunal da Comarca de Beja indica que os processos pendentes caíram.

No início do ano passado, “a estatística oficial indicava uma pendência de 7 835 processos e no final do período indicava apenas uma pendência de 6923 processos (descida de 11,64%), e na estatística de secretaria verificou-se também uma redução da pendência de 14.587 para 12.398 processos (descida de 15%)”, lê-se no documento a que a Rádio Pax teve acesso.

O relatório aponta como “acontecimento marcante” a instalação a partir de 1 de Setembro dos Juízos de Família e Menores e do Trabalho em módulos provisórios situados na cidade de Beja, “o que veio finalmente a colocar um termo na deslocalização do Juízo de Família e Menores para Ferreira do Alentejo, onde se mantinha desde a sua criação, quatro anos antes, e também na permanência do Juízo do Trabalho nas decrépitas instalações que ocupava em parte do edifício do antigo Governo Civil”.

O documento indica que o “problema mais relevante, e que mais afecta o bom desempenho dos serviços, continua a ser a falta do pessoal, nomeadamente oficial de justiça, mas também administrativo”.

“A falta de preenchimento dos quadros determina que o Tribunal continua a laborar com um notório défice de oficiais de justiça, com inevitáveis consequências na sua actividade”, frisa a mesma fonte.