Adesão à greve dos enfermeiros rondou os 52% no distrito

A paralisação pretende, segundo o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), contestar o aumento dos horários de trabalho, de 35 para 40 horas semanais, e lutar pelo ajuste das desigualdades salariais.

Edgar Santos, coordenador do SEP em Beja, refere que esta greve é também uma “resposta” ao Ministério da Saúde que, depois da entrega de um caderno reivindicativo pelo Sindicato, se comprometeu a agendar uma reunião até dia 25 de Junho. Segundo o sindicalista a reunião não se realizou.

De acordo com o SEP, a adesão à greve ontem rondou os 52% na Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA). Edgar Santos estima para hoje uma ligeira diminuição na adesão à greve.