Associação ESTAR preocupada com falta de condições habitacionais

A falta de condições dignas de habitação, em particular, verificadas na comunidade imigrante preocupa a Associação ESTAR que apela a toda a comunidade para ajudar a sinalizar estes casos.

Inês Féria, subdiretora da ESTAR, revela que se trata de uma situação recorrente.

Nesse sentido, a responsável considera ser fundamental que as Juntas de Freguesia da cidade e as rurais sinalizem estas situações, dado o seu papel de proximidade com a população.

A defesa dos direitos humanos é uma das principais missões desta associação sediada, em Beja, mas que pretende dar apoio a todas as situações referenciadas.

De forma a cumprir esse desígnio, a associação apela às Juntas de Freguesia e à própria comunidade que, caso tenham conhecimento de pessoas em situação vulnerável, contactem a ESTAR.

Inês Féria afirma que “é necessário que não se olhe para o lado”. A responsável diz, ainda, que a atuação da associação depende, também, do envolvimento de todos.