Baixo Alentejo imune a surto de sarampo

O último boletim epidemiológico, ontem divulgado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), confirma a existência de 106 casos de sarampo no país.

A doença atinge sobretudo adultos, do sexo feminino. A maioria dos doentes são profissionais de saúde.

A DGS revela que foram registados 246 casos negativos e há 21 ainda em investigação.

No Baixo Alentejo não existe qualquer caso diagnosticado. A região sul do país tem escapado a este surto.

O sarampo é uma das infecções mais contagiosas e transmite-se de pessoa-a-pessoa, por via aérea, através de tosse ou espirro.

Segundo a DGS, “o contágio pode ocorrer desde 4 dias antes e até 4 dias após o início da erupção cutânea”.

Febre e mal-estar, seguido de corrimento nasal, conjuntivite e tosse são os primeiros sintomas do sarampo.

“A vacinação é a principal medida de prevenção. É gratuita e está disponível para todas as pessoas presentes em Portugal”, assegura a DGS.