Coronavírus: Alentejo “não pode baixar a guarda”

No Alentejo, a situação da pandemia da Covid-19 “nunca pode ter um balanço positivo”. Apesar de ser das regiões do país com o menor número de casos confirmados, esta é uma “doença”, que não “anda sozinha”. “O vírus passa pelas pessoas”, por isso é preciso ter “planos defensivos”.

O conselho é de Jorge Seguro Sanches, Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional que esteve na semana passada, em Ferreira do Alentejo, para assistir à realização de testes à Covid-19 no lar de terceira idade da Misericórdia daquela localidade.

O secretário de Estado considera a que a “testagem em lares e creches tem sido muito importante”, no entanto, alerta que a realização dos testes “só faz sentido se depois se tiver os cuidados necessários”.

Estes testes preventivos são realizados, no Baixo-Alentejo, no âmbito de numa iniciativa do Governo, envolvendo as Câmara Municipais, através da CIMBAL, e outras entidades, com operacionalização através do Centro Académico Biomédico da Universidade do Algarve.

Jorge Seguro Sanches destacou o trabalho dos autarcas do Baixo Alentejo que “têm criado condições para que o programa possa funcionar”.

Em seu entender, apesar do reduzido número de casos, quando comparados com o resto do país, os “resultados não são bons, porque trata-se de uma doença, no entanto, esse número mostra que tudo tem sido feito “para evitar a propagação” da Covid-19.

O Secretário de Estado diz que o Alentejo tem a “situação controlada”, mas que “não pode baixar a guarda”.