Entrevista: Marcelo Guerreiro

Feira de Garvão – O Mundo Rural em primeiro lugar

O Mundo Rural está em destaque em mais uma edição da Feira de Garvão. O passado e o futuro do concelho e da região encontram-se por estes dias num certame que tem crescido de ano para ano e que cada vez mais é “um momento de valorização das raças autóctones”. Em entrevista à Rádio Pax, o presidente da Câmara Municipal de Ourique, Marcelo Guerreiro, falou sobre este certame centenário.

A Feira de Garvão representa a aposta que o município de Ourique tem feito no Mundo Rural?

A Feira integra aquela que é a nossa estratégia de desenvolvimento e aposta no Mundo Rural. É uma Feira centenária e mantém de forma muito vincada essa ruralidade. Continuamos a apostar na parceria com a Associação de Criadores de Porco Alentejano como forma de valorização do Mundo Rural, tão importante no nosso concelho e na nossa região

Os produtores do concelho são presença assídua?

Esta Feira junta muitos produtores do concelho de Ourique e da região. Ao longo dos anos tem mantido a sua componente rural e esse é um factor de diferenciação e uma característica que nunca queremos perder. Contamos naturalmente com um grande número de produtores e com uma diversidade muito grande de espécies e raças, com principal destaque para as raças autóctones.

Que importância tem a Feira de Garvão na defesa da Raça Garvonesa?

A Feira é um palco importante para manter viva a Raça Garvonesa. Temos feito um trabalho de defesa em conjunto com os produtores e com aqueles que trabalharam activamente para a recuperar. Hoje é essencial que a consigamos manter viva e que continue a crescer. Já existe um número de exemplares muito interessante e produtores interessados em produzir a Raça Gavornesa. É uma raça muito rustica que necessita de uma atenção especial naquilo que são os incentivos à produção. Falo das medidas agro-ambientais. É urgente a sua reabertura para que possam ser incentivados mais produtores a produzir esta raça autóctone que esteve em vias de extinção.

Os leilões são também uma imagem de marca da Feira de Garvão?

Os concursos e os leilões tem uma grande importância nesta Feira, nomeadamente o leilão de suínos de Porco Alentejano. Este ano temos pela primeira vez o leilão de ovinos de raça Romane-Inra, através de uma associação recém-criada, com sede no concelho de Ourique e que vai realizar pela primeira vez o leilão aqui na Feira de Garvão. É um momento de valorização das raças.

Em relação ao programa, que novidades se podem esperar este ano?

O Mundo Rural e a actividade rural estão em primeiro lugar. Temos um conjunto de leilões de porco alentejano e, este ano pela primeira vez, de ovinos. As actividades equestres ajudam também a manter fortemente viva esta característica rural. Em termos de animação, os destaques vão para a Corrida de Touros e para o concerto de Quim Barreiros no sábado e, no domingo, a presença do programa Somos Portugal da TVI que irá levar a Feira aos quatro cantos do mundo.

Quais são as expectativas para esta edição?

As expectativas são altas. Esperamos receber muito público e que a Feira seja um momento de valorização do Mundo Rural. Os nossos objectivos só estarão alcançados quando este evento contribuir fortemente para a valorização do Mundo Rural. É nisso que estamos a trabalhar e estamos confiantes.