Há “falta de transparência e desrespeito” na Câmara de Cuba

A Federação do Baixo Alentejo do PS não pouca críticas à CDU de Cuba.

Numa nota enviada à Rádio Pax, os socialistas classificam de “lastimável que a CDU na Cuba confunda exercício do poder democrático com autoritarismo, falta de transparência e desrespeito pelos legítimos direitos da ainda oposição”.

Em causa está um pedido de informação dos eleitos do PS na Assembleia Municipal à maioria CDU na Câmara que não obteve qualquer resposta.

Os socialistas solicitaram esclarecimentos sobre a relação de dívidas do município, com os nomes dos credores, os montantes e as datas de constituição da dívida.

O Partido Socialista, perante este comportamento, solicitou à CADA- Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos o acesso à informação sobre a relação de dívidas municipais existentes em 31 de Dezembro de 2016.

Segundo o PS, a CDU enviou à Comissão “um documento parcialmente rasurado em que é impossível constatar quem são os devedores em atraso em montantes superiores a 150 mil euros”.

Pedro do Carmo, presidente da federação do Baixo Alentejo do PS, considera esta situação “inadmissível”.

João Português, presidente da Câmara de Cuba, não comenta estas acusações e remete qualquer reacção para a Direcção da Organização Regional de Beja do PCP.

A Concelhia de Cuba da CDU já reagiu a esta posição. Numa nota enviada à Rádio Pax, a concelhia “estranha” que seja a Federação do PS a tomar posição.

Na mesma nota os comunistas frisam que “este tipo de abordagens e a sua prática podem demonstrar que, na verdade, o PS em Cuba continua amarrado ao seu anterior presidente Francisco Orelha e à sua continuada influência em detrimento, de algum modo a interpretação é possível, do actual candidato do PS em Cuba”.

A CDU adianta que “praticamente todas dívidas solicitadas provêm dos mandatos do partido socialista”.