Garrido Gomes cessa funções no Comando Territorial de Beja da GNR

O oficial assegurou, em entrevista à Rádio Pax, que do ponto de vista pessoal, foi uma experiência que “voltaria a repetir”. No Comando Territorial foram alterados “procedimentos” e introduzidos avanços tecnológicos. Garrido Gomes faz um balanço “positivo” do trabalho desenvolvido. Ao nível da actuação da GNR, os postos viram alterado o horário de funcionamento e foi aumentado o número de militares em patrulha, na rua.

O estado de degradação dos postos da GNR foi uma preocupação expressa, por diversas vezes, pelo Comandante que cessa agora funções. No momento da saída, Garrido Gomes afirmou que estão em curso e prestes a arrancar pequenas obras de manutenção nalguns postos. Relativamente ao edifício onde está instalado o Comando Territorial de Beja, a solução poderá passar por obras de recuperação. Garrido Gomes frisou que tentou “cativar” os autarcas para o problema dos postos. Só Ferreira do Alentejo aproveitou os fundos comunitários para recuperar o Posto. Em seu entender “os autarcas do distrito de Beja perderam a oportunidade para reabilitar os quartéis da Guarda que têm na sua área”.

Garrido Gomes espera que o parque automóvel do Comando Territorial seja em breve melhorado com a chegada de novas viaturas.