Governo determina realização de estudos para ampliação do hospital de Beja

O Governo determinou a realização de estudos técnicos pela Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) para a ampliação do hospital de Beja, revelou hoje o secretário de Estado da Saúde, Ricardo Mestre.

Em declarações à agência Lusa, o governante indicou que o despacho sobre a futura reorganização e ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, vai ser publicado na terça-feira em Diário da República (DR).

“É um despacho que resulta do compromisso que assumimos quando fizemos a iniciativa Saúde Aberta, em julho, no Baixo Alentejo”, adiantou, salientando que uma das carências então identificadas pela tutela foi a ampliação do edifício do hospital de Beja.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, este despacho solicita à ULSBA que “faça uma análise sobre o atual perfil assistencial do hospital” e que aponte “as necessidades que existem” na unidade para a “fazer evoluir”.

“Ou seja, que outras valências e respostas são necessárias criar naquele hospital, que olhem também para o atual programa funcional do hospital, como é que estão estabelecidos os circuitos de funcionamento e que estudem a necessidade de alargar o edifício do hospital”, enumerou.

Ricardo Mestre disse que também é pedida uma avaliação económica sobre a ampliação da unidade hospitalar para o Governo ficar a saber “o volume financeiro que está associado” e a identificação de fontes de financiamento para o projeto.

“A ideia é que se faça este trabalho, nos próximos meses, e que, depois, possam ser tomadas as decisões sobre o alargamento concreto e em que condições”, sublinhou.

As tarefas agora solicitadas à ULSBA terão que estar concluídas até 30 de junho de 2024 e colocadas num relatório dirigido ao membro do Governo responsável pela área da saúde.

Para este trabalho, de acordo com o governante, a ULSBA vai contar com a colaboração da Administração Central do Sistema de Saúde e da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, entre outras entidades.

Questionado pela Lusa sobre o valor e datas previstas para o projeto, o secretário de Estado respondeu que isso depende das conclusões dos estudos técnicos.

“Há um conjunto de investimentos que tem vindo a ser feito e que, agora, tem que ser olhado de forma integrada e o valor desse financiamento e o tempo de construção resultará do trabalho que daqui advém”, acrescentou.

A ampliação do Hospital José Joaquim Fernandes é reivindicada há muitos anos pela população e forças partidárias.

Rádio Pax/Lusa