PSD pede ao Governo que “discrimine positivamente o interior”

Poucos dias depois de ter entrado em vigor o Programa de Apoio à Redução Tarifária dos Transportes Públicos, o PSD apresentou “um projecto de resolução onde recomenda ao Governo a redução para metade do preço das portagens nas ex-SCUT e auto-estradas similares e descontos de 50% nos preços dos comboios regionais e intercidades que não estejam actualmente abrangidos pelo programa de apoio à redução tarifária do governo”.

No comunicado enviado às redacções, os social-democratas referem que  “70,19% das verbas do Orçamento do Estado afectas a este programa são para a grande Lisboa, enquanto 15,27% vão para o grande Porto e só 14,53% vai para o resto do país todo somado”.

Nilza de Sena, deputada do PSD eleita por Beja disse à Rádio Pax que o Programa de Apoio à Redução Tarifária dos Transportes Públicos “oferece vantagens a quem vive nas zonas metropolitanas de Lisboa e Porto e deixa de fora todo o resto do país que não aufere destas vantagens”.

De acordo com a deputada, nas zonas do país “onde não existiam transportes públicos, continuam a não existir, como acontece em Beja”.

Em seu entender, para a região, a medida mais concreta “é o desconto de 50% nos preços do comboio”.

O projecto de resolução apresentado pelos deputados do PSD de Beja, Évora, Portalegre, Castelo Branco e Guarda “pretende criar medidas que discriminem positivamente as regiões do interior”.

Os cinco deputados social-democratas “apresentam-se como sendo os representantes do interior mais profundo do país” e pedem ao Governo que adopte uma forma de “compensação” e de “diminuição das desigualdades” com vista à maior “coesão territorial”.

Nilza de Sena salientou ainda que “a medida dos passes sociais pode beneficiar muitos, mas fá-lo de forma desigual”.