27°C
Clear sky

Revolta nas profundezas: greve geral na Somincor por salários justos

Revolta nas profundezas: greve geral na Somincor por salários justos

Os trabalhadores da Somincor, concessionária da mina de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde realizam, hoje e amanhã, uma greve geral para exigir aumentos salariais, entre outras reivindicações.

A greve geral aos quatro turnos diários da mina foi aprovada “por uma esmagadora maioria” dos trabalhadores que participaram nos plenários, realizados em 03 e 04 deste mês, adiantou à agência Lusa o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM), Albino Pereira.

“O que leva a esta paralisação, decidida em plenário pelos trabalhadores, é que a empresa não responde ao caderno reivindicativo aprovado pelos trabalhadores” e apresentado à administração da Somincor no passado mês de dezembro, disse.

Segundo Albino Pereira, os trabalhadores da empresa mineira exigem “progressões na carreira e aumentos de salários justos de 150 euros por trabalhador”.

A par disso é igualmente pedido, entre outras exigências, “o aumento de vários subsídios”, assim como, a renegociação do seguro de saúde, uma vez que os trabalhadores passaram “a pagar mais de franquia”.

Perante estas reivindicações, a Somincor, apenas, concedeu, para 2024, “um aumento de 4,3% [nos salários], que não corresponde de forma alguma àquilo que foi reivindicado”, além de “barrar qualquer negociação”, afiançou Albino Pereira.

Contactado pela Lusa, o administrador-delegado da Somincor, António Salvador, confirmou que, em 2024, houve “um aumento de 4,3% dos salários [na empresa], que como todos saberão, estão acima da média nacional e muito acima da média do setor mineiro nacional”.

De acordo com o gestor, a empresa mineira enfrenta “uma situação económica e financeira de grande dificuldade”, motivada por “uma forte pressão inflacionária dos custos, a desvalorização dos preços dos metais base nos mercados internacionais e a desvalorização do dólar”, moeda referência na venda dos metais.

Portanto, “este aumento é o possível dentro deste contexto e qualquer outro cenário coloca irremediavelmente em causa a sustentabilidade financeira da empresa e a continuidade da relevância local, regional e nacional da Somincor, que é aquilo que certamente todos desejamos”, acrescentou.

Rádio Pax/ Lusa

PUB

PUB

PUB

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn

Farmácia de serviço hoje na cidade de Beja

Publicidade

Mais Lidas

1
Ourique
Incêndio fatal em Ourique: homem perde a vida aos 62 Anos
2
Ressonância
Hospital de Beja: A espera terminou, Ressonância Magnética chegou
Devemos acarinhar os eleitores do Chega? Não! Não podemos
4
Bombeiros
Polémica nos Bombeiros de Beja: Lista rejeitada responde a comunicado da direção 
5
Odemira
Alunas de Odemira brilham em competição de ciência em Itália
6
25 de Abril
50 anos de Abril: Catarina Eufémia, um símbolo da luta antifascista
7
agricultores
Agricultores que cortaram estrada em Serpa identificados pelas autoridades
8
roubos em Beja
Semana com ameaças, agressões e roubos em Beja

Recomendado para si

15/04/2024
CCDR Alentejo anuncia aumento do investimento estrangeiro na região
turismo
10/04/2024
ERT apresenta Plano de Ação do Destino Alentejo em Beja
Câmara de Beja
09/04/2024
Câmara de Beja esclarece empresários sobre apoios para o sector
05/04/2024
Hotel Francis em Beja revela novidades
03/04/2024
Distrito de Beja em destaque nos prémios Cinco Estrelas Regiões 2024
CIMBAL
02/04/2024
CIMBAL visita obras com financiamentos comunitários por toda a região
Milfontes
02/04/2024
Vila Nova de Milfontes tem novo Gabinete de Inserção Profissional
01/04/2024
CIMBAL recebe 214 mil euros para reforço do Programa de Apoio à Redução Tarifária