Seca compromete culturas de Outono/Inverno

O cenário de seca “teve impactos substanciais”, quer sobre as culturas instaladas, quer sobre a programação do ano agrícola que agora se inicia, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A falta de humidade dos solos impossibilitou a preparação das sementeiras das culturas de Outono/Inverno, registando-se um atraso considerável na instalação das culturas forrageiras e dos prados semeados.

Apesar da seca, as previsões agrícolas do Instituto, em 31 de Outubro, apontam para um aumento da produtividade dos olivais para valores “próximos do normal”. Contudo, o cenário é diferente em função dos olivais. Nos olivais regados, a maturação da azeitona foi conseguida. Pelo contrário, nos olivais de sequeiro “a escassa precipitação de Setembro e Outubro, aliada às elevadas temperaturas, conduziu a situações de perda de produtividade (queda precoce ou engelhamento dos frutos nos ramos) e afectou negativamente o conteúdo oleico das azeitonas”, revela o INE.

Segundo a mesma fonte, a falta de chuva “continua a atrasar o início de ciclo das pastagens de sequeiro, que apresentam reduzida disponibilidade forrageira”. Os criadores estão a alimentar os animais com palhas e rações. O INE prevê que as actuais condições vão prolongar “o período de suplementação, com um acréscimo significativo dos custos para as explorações pecuárias”.

O Instituto “perspectiva, um bom ano vinícola”.